18/06/2010

Vômito

Não quero escutar teu consolo,
não quero, minha cara,
o dever.
Não quero o murro,
o corte,
a tua ajuda
que estrangula você.

Um comentário: