11/09/2008

Amo. Desordenadamente; amo sem horizonte, amo delírio. Delinquente.
............

mente tamborila vaga
vaga enquanto sente.


vazio
de prática de pente.
cabelo emaranhado nó solto, fluente.


e só no meu mundo
de anseio,
sem rumo, cheio de nada, mas cheio,
eu sei onde é o sul onde é poente.

Um comentário:

sofia disse...

Ana! Que coisa mais sonora e poética e linda! Já tentou compor umas músicas com o que escreve? Com certeza daria um bom samba!!
Beijos de amor