26/08/2008

loucubrações livres

domingo de manhã.
(a madrugada e a manhã são imperdíveis, infelizmente é preciso dormir à tarde).
mas q também é prática gostosa.
contanto que se tenha vontade de acordar.
contanto que a vontade exista por motivo pulsante - um não, vários (e onde é que eles se separam?). Vontade é vontade de tudo.

é acordar e tomar o café - o mais saboroso q há, todo dia - e ouvir uma música à tarde, esperando a noite q vai vir, boa, mesmo que se tenha algum trabalho pra fazer nesse meio tempo. Entre-safra.
Viver, sobreviver é se esforçar, se nada é natural pro homem. Se nenhum ritual dessacraliza hoje o ato do trabalho.
...Ritual deixa o sagrado tranquilo, leve, comum... O trabalho não. Sagrado e sacal. Gente esforçada e só, todos sós cada um em seu martírio, mas sem revolta, pq a obrigação é geral. Sempre teve que se comer. Há muito que se precisa de dinheiro. E há muito que o trabalho é um tédio compulsório, sem emoção?

Tem que se comer.
E o domingo amanhece bonito de verdade.
Durante a semana, também há prazeres.
Há prazer na beleza, beleza no céu.

o prazer é hábito que se espalha tanto quanto a crueldade. ou mais.

e a vontade de quem acorda pode ser a de tomar um banho e colocar um som pra acompanhar o banho.
ir à praia é vontade plena e prazer pleno. Orgasmo do hábito.
como ver o sol nascer e se pôr. e olha q o chavão tem suas razões de ser... se todo dia fossem vistos nascer e pôr... daí o prazer é normal, a vida é inquestionável. Que o prazer é vida. (...o suicídio, o limite do questionamento, antecipa a única coisa que é certeza e o gostoso é mesmo inexplicável.)

mas que saco que dê vontade de escrever sobre isso, as coisas mais básicas do prazer. se fosse óbvio em toda rotina, ritual, ordinário, eu (qualquer um) não teria vontade de escrever sobre isso.
criaria outras coisas mais bonitas mais vivas.

Um comentário:

P.H. Soares disse...

O exercício verdadeiro do escrever o que se sente é deixar fluir o que se pensa, deixar livre as mãos, o corpo, sentir a respiração toda, toda. Aí não tem jeito não, como neste post maravilhoso, em que eu me senti bem a vontade num dia de domingo. Mesmo hoje sendo quinta-feira hehe.
bjão, Ana